Curiosos

pesquisar

 
Segunda-feira, 07 / 01 / 13

Adoção em Portugal

Em média é adoptada uma criança por dia em Portugal. É um projecto que deixou de ser exclusivo dos casais. Em Abril, 385 pessoas sozinhas estavam inscritas nas listas nacionais de adopção, representando cerca de um quinto dos processos.



Em Portugal existem actualmente pouco mais de 500 crianças em condições de ser adoptadas, mas são mais de dois mil os processos de candidatos a futuros pais. De acordo com os últimos dados do Instituto de Segurança Social (ISS), desde Junho de 2006 até Abril de 2011 foram adoptadas em Portugal 2.022 crianças. Ou seja, todos os anos 404 menores encontraram uma nova família. Conseguir adoptar uma criança pode chegar a demorar vários anos, mas nem por isso quem sonha ter um filho deixa de tentar a sua sorte por esta via, quer esteja sozinho ou acompanhado. Em Abril de 2011 existiam 1.879 candidaturas de casais e 385 individuais. No mesmo mês, em condições de serem adoptados estavam apenas 532 menores.

O processo de adopção não é simples: é preciso cruzar o perfil da criança com o dos futuros pais para garantir que as expectativas não são goradas. Os casos de crianças que depois de serem adoptadas são devolvidas às instituições são "residuais", mas fonte do ISS sublinha: "Por menos casos que existam, a situação é sempre bastante lesiva para a criança, por isso basta existir um para nos preocuparmos". A maioria dos futuros pais sonha em adoptar um bebé órfão mas muitas das crianças em condições de adoptabilidade são meninos "marcados por histórias de vida bastante complicadas", explicou à Lusa fonte do ISS. Para tentar reduzir os casos de insucesso e garantir que os "pais" estão aptos, o ISS lançou no final de 2009 um Plano de Formação para a Adopção, que começa com sessões de formação (sessão A) a todos os que ainda estão a pensar se querem ou não adotar uma criança.



publicado por Curiosos às 08:58
Segunda-feira, 07 / 01 / 13

Amigos imaginários

Crianças e os amigos imaginários

 

Muitas crianças começam a desenvolver um mundo de fantasia paralelo à realidade que vivem. Se seu filho está passando por essa etapa, não se assuste nem se preocupe, porque isso é absolutamente normal. Este novo universo de super-heróis, de monstros, de fantasmas, de fadas e outros amigos, ajudará seu filho a crescer e a desenvolver suas emoções e criatividade. O ajudará a expressar seus medos, suas alegrias, suas inquietudes, e seus mais profundos desejos. As crianças são conscientes do mundo real, mas nessa idade ainda lhes custa assimilá-lo e aceitá-lo tal como é. Por essa razão eles criam um mundo onde tudo é possível, permitido e solucionado. É a etapa do pensamento mágico das crianças. O amigo imaginário pode ser um ursinho de pelúcia, um soldadinho, coisas, animais, etc. São amigos que passam a ter vida, a conversar, brincar e a brigar com as crianças. Através do amigo imaginário, as crianças:

 

  • Liberam seus sentimentos positivos e negativos.
  • Projetam seus conflitos, medos e fobias diante de novas situações, como a de ter que abandonar as fraldas, ir à creche ou ao jardim-de-infância, a mudar-se de casa, ou a ter que enfrentar algum desafio ou realidade diferente.
  • Adquirem mais confiança em si mesmos. Em sua “lógica”, se seu amigo imaginário consegue vencer o mal, ele também é capaz de fazê-lo.
  • Se sentirão mais fortes, e capazes. E isso favorecerá sua auto-estima.
  • Controlarão melhor suas emoções.
  • Entendem da melhor maneira o ponto de vista da outra pessoa, neste caso, do seu amigo imaginário. - Desenvolvem habilidades sociais.

 

Os pais de crianças com amigos imaginários também devem aumentar a vigilância enquanto seu filho brinca com seu amigo. Devem aumentar os cuidados com janelas e com objetos que ofereçam algum risco. O menino pode desejar voar como o superman, e a menina pode acreditar que pode voar com um guarda-chuva, para imitar a Mary Poppins.

 

publicado por Curiosos às 08:51

mais sobre o curso

Janeiro 2013

D
S
T
Q
Q
S
S
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
16
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

últ. recentes

  • Concordo com tudo o que foi dito, mas também nem s...
  • gostei do post ... é como eu tento agir com as min...
  • A designação de Escola Primária para 1º ciclo mudo...
  • Concordo e defendo, pena que mesmo sendo mitos...s...
  • Sou educadora de infância e subscrevo..
  • Não me parece que o facto de se usar o termo escol...
  • Sou mãe de um "finalista" (como ele diz) de JI . S...
  • Achei o artigo interessante. No entanto é feita re...
  • Check! confirma-se! Só falhei nas horas do comentá...
  • Lindo texto, muitos educadores ainda ficam presos ...

arquivos

2013
2012

subscrever feeds

blogs SAPO


Universidade de Aveiro