Curiosos

pesquisar

 
Segunda-feira, 07 / 01 / 13

Primeiros socorros

Primeiros socorros

 

Hoje, no programa "Você na TV" falaram de temas muito pertinentes, importantes tanto para a nossa vida pessoal como profissional.

Ser educadora é um profissão que acarreta muita responsabilidade. Caso aconteça algum imprevisto, por exemplo a falta de um material escolar ou avaria de um computador nós temos de saber como lidar com a situação e dar a "volta por cima", arranjando novas estratégias de ensino. O imprevisto por vezes também pode acontecer por parte das crianças a nível de saúde... O que fazer quando a criança se engasga com uma moeda, por exemplo? O que fazer se a criança tiver um ataque de hepilepsia? Ou o que fer se a criança começar a sagrar do nariz? Estas são questões que nos devemo colocar e tentar arranjar respostas. Para facilitar a pesquisa vou deixar aqui o link de um site que consegue tocar em cada um desses assuntos.

 

Clique aqui: http://www.tvi.iol.pt/programa/2015/videos/128760/video/13776142/1

 

Uma boa pesquisa!

 

 

publicado por Curiosos às 16:44
Segunda-feira, 07 / 01 / 13

As crianças e a água

As crianças e a água

 

 

O exercício físico ocupa uma importante parte da actividade das crianças, para além disso, as crianças apresentam uma menor tolerância ao calor, especialmente se realizarem uma actividade física ao ar livre. É por isto que é muito importante que as crianças bebam água, porque devem re-hidratar-se. Como os seus rins não estão plenamente desenvolvidos, é importante que a água que ingerem tenha a menor quantidade de sais possível, para não sobrecarregá-los.


Na alimentação do seu bebé, especialmente na preparação de biberões e papas, deve ter em conta o tipo de água que vai utilizar. Para isso é recomendável a utilização de uma água com uma mineralização muito débil, já que ao ser fraca em sais não altera a composição dos leites em pó. Este tipo de água também é o mais conveniente para se beber, já que a sua baixa concentração mineral não sobrecarrega os rins do seu bebé. Para além disso, entre as inumeráveis vantagens, as águas minerais não necessitam de ser fervidas, mas é muito importante manter uma boa higiene na hora de preparar a comida: lave bem as mãos, os biberões e também as tetinas.


As águas engarrafadas são todas iguais?


As águas engarrafadas podem ser distinguidas em três tipos de água: águas preparadas, águas da nascente e águas minerais naturais. Só estas últimas é que têm uma composição mineral equilibrada e constante e, dessa forma, podem indicar esse nome nas suas etiquetas.

O que diferencia estas águas das outras é a sua natureza mineral e a sua pureza original, já que a sua origem subterrânea protege o aquífero de contaminações químicas ou bacterianas. No entanto, nem todas as águas minerais são iguais, distinguem-se em vários tipos de água mineral natural:

  • Águas de mineralização muito débil: resíduo seco até 50 mg/l
  • Águas de mineralização débil: resíduo seco até 500 mg/l
  • Águas de mineralização forte: resíduo seco superior a 1500 mg/l

A água de mineralização muito débil é a mais adequada para os recém-nascidos e para os lactentes: é a melhor para dissolver o leite em pó, já que não altera a sua composição e é a mais conveniente para beber (devido à baixa concentração de sais que não sobrecarrega os rins da criança).


Qual é a água mineral ideal para os lactentes?


É importante observar a etiqueta com a informação referente à composição analítica da água, fixando-se na mineralização muito débil, nas quantidades de sódio, de nitratos e flúor.

De acordo com os especialistas em pediatria, atendendo aos principais componentes das águas minerais, a água ideal para o lactente deve ser:

  • De mineralização muito débil (<50 mg/l)
  • Deve conter menos de 0,3 mg/l de flúor
  • Deve conter a mínima quantidade possível de nitratos (<25 mg/l)
  • Para os bebés com menos de 6 meses de vida, menos de 25 mg/l de sódio, e se tem entre 6 meses e um ano, menos de 50 mg/l

Comprove sempre a etiqueta das garrafas de água mineral e escolha aquela que cumpra todos estes requisitos.

publicado por Curiosos às 16:37
Segunda-feira, 07 / 01 / 13

Crianças e a idade dos porquês

A idade dos porquês

"Porque é que comemos?"; " Porque é que as estrelas não caem?"; "Porque é que o Sol se vai embora à noite?"; "Porque é que o céu é azul?"; "Porque é que as pessoas e os animais morrem?"; "Porque é que tens que ir trabalhar?"….

Por vezes a "chuva" de perguntas è tão intensa que deixa os pais sem argumentos e também a questionar-se: "Porque é que isto acontece com o meu filho?"
A resposta à sua questão é a seguinte:
- O seu filho chegou à idade da curiosidade insaciável dos porquês.

Esta fase dos "porquês" surge habitualmente por volta dos 3/4 anos no chamado período pré-operatório, tal como o denominou Jean Piaget (Psicólogo suíço pioneiro no estudo do desenvolvimento infantil). Nesta fase a criança inicia a capacidade para criar imagens mentais na ausência do objecto e da acção (função semiótica) além de atribuir "personalidade" aos objectos (animismo). Estas duas características fazem com que a criança tenha uma grande necessidade de compreender os limites e as particularidades do mundo que a rodeia porque de facto está a ver e sentir mais do que consegue compreender.

Embora esta fase possa surgir mais tardiamente (temos que ter em conta que também depende da estimulação e capacidade intelectual de cada criança entre outros factores ambientais e familiares), normalmente a partir dos 4 anos os porquês são habituais e reflectem uma curiosidade por vezes insaciável perante o mundo. Esta é uma fase muito importante para o desenvolvimento cognitivo (intelectual) da criança.
Algumas SUGESTÕES:

  • Nunca ignore uma pergunta do seu filho, ouça-o com atenção.
  • Se não estiver certo(a) do que vai responder diga-lhe que mais tarde lhe responderá, depois de ter reflectido ou pesquisado o assunto em questão.
  • As suas respostas devem ser adequadas à idade, num vocabulário adequado e de fácil compreensão.
  • Não elabore mentiras ou "respostas fantásticas" que a criança acaba por perceber que não corresponde à verdade. Respondendo com uma mentira o seu filho deixará de confiar nas suas afirmações. 
  • Existem momentos próprios para fantasiar e outros para responder concretamente ás questões dos seus filhos, deve tentar diferenciá-los.
  • Evite dar respostas antes da criança perguntar, dê-lhe tempo para pensar e formular as questões.
  • Nunca entre em contradição com o seu parceiro pois isso vai confundir a criança.
  • Amor, atenção estão na essência das respostas mais saudáveis aos porquês do seu filho.
publicado por Curiosos às 10:05
Segunda-feira, 07 / 01 / 13

Rodrigo precisa de um transplante

Rodrigo precisa de um transplante!!!

 

 

O Rodrigo sofre de leucemia e necessita de um transplante de medula óssea. Por ele, muitos são os que se têm inscrito como dadores, o que já é uma grande vitória, pois como o Rodrigo há muitos outros doentes em lista de espera. Mas o que é a leucemia?
Normalmente, as células crescem e dividem-se para formar novas células, conforme o organismo delas necessita. Quando as células envelhecem, morrem e novas células tomam o seu lugar. Por vezes, este processo ordeiro corre mal. Formam-se novas células quando o organismo não precisa delas, e as células velhas não morrem, quando deviam. A leucemia é um cancro que tem início nas células do sangue. Nas pessoas com leucemia, a medula óssea produz glóbulos brancos anómalos; estas células anómalas são células de leucemia. No início, as células de leucemia funcionam quase normalmente. Com o tempo, ultrapassam, em número, os glóbulos brancos, os glóbulos vermelhos e as plaquetas. Torna-se, assim, difícil o sangue conseguir realizar a sua função.

Por isso, é MUITO IMPORTANTE a inscrição como dador de medula, mas também a doação de sangue, pois estes doentes precisam de transfusões por vezes diárias de sangue e plaquetas!

 

A partir deste link podem conhecer um pouco este menino tão especial:

http://www.youtube.com/watch?v=WOJSDv8a_co

publicado por Curiosos às 09:50
Segunda-feira, 07 / 01 / 13

Adoção por casais homosexuais

Adoção por casais homosexuais

 


Ontem em um palestra sobre adoção, uma aluna de psicologia perguntou quais seriam as diferenças (ou dificuldades) de adaptação em uma criança adotada por casal homos-sexual. A psicóloga palestrante disse que no processo de adoção a prioridade é o bem estar da criança e concluiu com a infeliz afirmação: “Em Goiânia temos aproximadamente 550 famílias esperando uma criança para ado-ção. Se a criança tem à sua disposição uma família de casal heterossexual e outra de casal homossexual, qual vai ser melhor pra ela? Eu recomendo a heterossexual.” Sem dúvida essa foi uma afirmação extremamente preconceituosa, afinal de contas, a natureza sexual do casal não determina a dinâmica familiar – é fácil imaginar uma famí-lia problemática ou desestruturada em que os pais são heterossexuais. Ao contrário do que muitos pensam, nós psicólogos não temos todas as respostas sobre o comportamento humano. Muito menos em questões atuais e polêmicas como esta. Mas isso não nos dá o direito de responder baseado no “machismo” ou em preconceitos. No dia anterior a mesma aluna havia feito a mesma pergunta à outra psicóloga, que res-pondeu mais ou menos assim: “se são um casal feliz e estável, com claras intenções de cuidar e educar o filho e tem condições para isso, então acredito que nada impeça que a criança cresça de maneira saudável”. Este é um assunto novo e ainda com poucas pes-quisas e resultados concretos. Se alguém já teve experiência com um caso de adoção como esses ou conhece alguém que passou por uma situação similar, por favor compar-tilhe nos comentários!

publicado por Curiosos às 09:47
Segunda-feira, 07 / 01 / 13

Crise pode criar “crianças problemáticas”

Crise pode criar "crianças problemáticas"

 

alt

 

A atual crise pode criar uma “geração de crianças problemáticas”, uma vez que as faixas etárias mais jovens “estão especialmente suscetíveis” aos efeitos da crise, avisou o presidente do Instituto de Educação da Universidade do Minho, citado pela agência “Lusa”.

 

Leandro Silva Almeida afirmou ainda que as “soluções circunstanciais” para os problemas financeiros atuais “podem comprometer seriamente o futuro emocional” das crianças portuguesas. Para este docente e investigador, atualmente em Portugal está-se a dar demasiada importância à “componente curricular” da educação infantil e a “descuidar” outras áreas com “tanta ou mais importância”.

Segundo Leandro Almeida, “a atual crise está a comprometer a educação”, embora admita ser “necessário fazer escolhas face aos constrangimentos financeiros”. O investigador chamou a atenção para as consequências do atual momento de crise que Portugal atravessa nas crianças de hoje, “jovens do amanhã”.

“A infância é uma das faixas etárias mais atingidas. Nesta altura os jovens estão especialmente suscetíveis aos efeitos vários de uma crise. Principalmente aos efeitos emocionais. O crescimento da criança não é só uma estimulação cognitiva”, apontou.

Leandro Almeida lembra que a educação passa também por “questões alimentares, jogos” e que, “num momento em que há poucos recursos, os pais, vivenciando com drama as situações diárias, têm pouca disponibilidade afetiva”. Desta situação, avisou o especialista, “pode advir uma geração problemática”, porque “os reflexos desta crise não se vão sentir só agora mas também mais tarde”. Daí, disse, “ser necessário refletir quais são as áreas estratégicas, e aquelas em que não é possível descurar ou eliminar recursos, sob pena de estarmos a comprometer o futuro do país para resolver um problema económico circunstancial de agora”.

publicado por Curiosos às 09:37
Segunda-feira, 07 / 01 / 13

...

Crianças veem monstros nos pais alcoolizados em campanha


Crianças veem monstros nos pais alcoolizados em campanha

 

Uma campanha publicitária contra o alcoolismo imagina como as crianças vêem os pais quando quando estão alcoolizados. O vídeo da organização finlandesa 'Crianças frágeis' pretende alertar os pais para os 'monstros' em que se tornam.

Durante 60 segundos podem ver-se crianças assustadas que convivem com palhaços, coelhos gigantes, zombies, assaltantes e a própria morte. Este não é o primeiro vídeo do género da organização ativista que se dedica à causa desde 1986.

 

Veja aqui a campanha:

 

http://www.youtube.com/watch?v=4y-CBtzAsWM&feature=player_embedded

publicado por Curiosos às 09:32
Segunda-feira, 07 / 01 / 13

A crise explicada ás crianças

A crise explicada ás crianças

 

Numa altura em que só se fala em crise, crise e mais crise, quem explica às crianças o que é essa coisa que a todos nos aflige? Este livro explica. E explica de acordo com a ideologia favorita de cada leitor: se prefere as justificações defendidas pela esquerda começa a ler o livro por um lado, se prefere as justificações defendidas pela direita começa a ler o livro por outro.

Os protagonistas são os mesmos dos dois lados – um urso gordo (o défice) e um enxame de abelhas furiosas (os mercados) –, mas as explicações para o estado a que o país chegou mudam bastante consoante o ponto de vista favorito do leitor e o sentido da sua leitura.

Escrito por João Miguel Tavares (autor de Os Homens Precisam de Mimo, membro do Governo Sombra e colunista do Correio da Manhã) e ilustrado por Nuno Saraiva (co-autor de Filosofia de Ponta e um dos mais prestigiados ilustradores portugueses), A Crise Explicada às Crianças é o livro que Vítor Gaspar gostaria de ter escrito para ler aos seus filhos antes de os pôr na cama.

 

Podem clicar no link para verem a notícia acerca da publicação deste tão interessante livro.

http://www.youtube.com/watch?v=iThg1HD4mRs

 

 

A crise explicada às crianças

publicado por Curiosos às 09:24
Segunda-feira, 07 / 01 / 13

castigos dados ás crianças

Castigos dados ás crianças


 

Para eles, a ideia é que a criança precisa de sofrer para aprender, e que sem algum tipo de sofrimento, seja físico seja psicológico, a criança nunca irá obedecer a regras ou conhecer os limites para o seu comportamento. No entanto, o castigo é apenas uma forma de disciplina, longe de ser a única. E, lamento informar, geralmente a menos eficaz, pois ensina à criança principalmente o que não deve fazer e não o que deve fazer.

A criação de um bom ambiente familiar é o alicerce da disciplina. Sem um ambiente cheio de amor e diversão, onde todos sabem ouvir e sabem escutar e onde a coerência, a consistência e a flexibilidade estão presentes, é impossível existir uma disciplina eficaz. Logo em seguida, a melhor forma de educar os nossos filhos é através de mensagens positivas, que estimulam os comportamentos que consideramos adequados e aumentam a auto-estima das crianças.

Chegados aqui, temos de perceber que há algumas situações em que o que pretendemos é terminar com um comportamento inadequado. E é aqui que está a dúvida: como aplicar correctamente os castigos para que consigam pôr fim ao comportamento indesejado, ao mesmo tempo que permitem à criança o controlo das suas emoções e dos seus impulsos e a levam a compreender que o mau comportamento tem consequências.

 

 

publicado por Curiosos às 09:19
Segunda-feira, 07 / 01 / 13

Filhos são mais ativos quando os pais dão o exemplo

Filhos são mais ativos quando os pais dão o exemplo

Filhos são mais ativos quando os pais dão o exemplo

 

Os pais que queiram aumentar a atividade dos filhos e torná-los menos sedentários podem fazê-lo aumentando a sua própria atividade, já que as crianças os seguem naturalmente. Esta foi a conclusão de um estudo levado a cabo pelo National Jewish Health (NJH), nos Estados Unidos.

De acordo com o comunicado divulgado, em Julho, pelo NJH, as crianças tornam-se automaticamente mais ativas caso os pais também o sejam. Kristen Holm, autora do estudo, explicou que embora já se soubesse que a atividade de pais e filhos está relacionada, “esta é a primeira vez que se descobre em que medida isso acontece”.

As experiências contaram com a participação de 83 famílias num programa para evitar o aumento de peso de crianças obesas com idades compreendidas entre os sete e os 14 anos. No âmbito desta ação foram promovidas atividades para pais e filhos, encorajando-se uma média de 2 mil passos a mais do que aqueles dados habitualmente no dia-a-dia.

Os resultados, medidos através de um pedómetro, demonstraram uma relação direta entre a atividade parental e a das crianças. Sempre que a mãe excedia a meta de 2 mil passos, as crianças davam, em média, 2.117 passos a mais do que regularmente.

No entanto, quando as mães não atingiam o objetivo, os filhos ficavam-se por cerca 1.175 passos adicionais. De um modo geral, a experiência revelou que por cada mil passos a mais das mães, as crianças dão outros 196 passos a mais.

O efeito parental na atividade dos filhos foi mais acentuado aos sábados e domingos. Os investigadores pensam que este fenómeno se deve ao facto de pais e filhos praticarem mais exercício juntos durante os fins-de-semana, estando ambos os grupos aptos a dar mais passos adicionais nestes dias.

publicado por Curiosos às 09:08
Segunda-feira, 07 / 01 / 13

Adoção em Portugal

Em média é adoptada uma criança por dia em Portugal. É um projecto que deixou de ser exclusivo dos casais. Em Abril, 385 pessoas sozinhas estavam inscritas nas listas nacionais de adopção, representando cerca de um quinto dos processos.



Em Portugal existem actualmente pouco mais de 500 crianças em condições de ser adoptadas, mas são mais de dois mil os processos de candidatos a futuros pais. De acordo com os últimos dados do Instituto de Segurança Social (ISS), desde Junho de 2006 até Abril de 2011 foram adoptadas em Portugal 2.022 crianças. Ou seja, todos os anos 404 menores encontraram uma nova família. Conseguir adoptar uma criança pode chegar a demorar vários anos, mas nem por isso quem sonha ter um filho deixa de tentar a sua sorte por esta via, quer esteja sozinho ou acompanhado. Em Abril de 2011 existiam 1.879 candidaturas de casais e 385 individuais. No mesmo mês, em condições de serem adoptados estavam apenas 532 menores.

O processo de adopção não é simples: é preciso cruzar o perfil da criança com o dos futuros pais para garantir que as expectativas não são goradas. Os casos de crianças que depois de serem adoptadas são devolvidas às instituições são "residuais", mas fonte do ISS sublinha: "Por menos casos que existam, a situação é sempre bastante lesiva para a criança, por isso basta existir um para nos preocuparmos". A maioria dos futuros pais sonha em adoptar um bebé órfão mas muitas das crianças em condições de adoptabilidade são meninos "marcados por histórias de vida bastante complicadas", explicou à Lusa fonte do ISS. Para tentar reduzir os casos de insucesso e garantir que os "pais" estão aptos, o ISS lançou no final de 2009 um Plano de Formação para a Adopção, que começa com sessões de formação (sessão A) a todos os que ainda estão a pensar se querem ou não adotar uma criança.



publicado por Curiosos às 08:58
Segunda-feira, 07 / 01 / 13

Amigos imaginários

Crianças e os amigos imaginários

 

Muitas crianças começam a desenvolver um mundo de fantasia paralelo à realidade que vivem. Se seu filho está passando por essa etapa, não se assuste nem se preocupe, porque isso é absolutamente normal. Este novo universo de super-heróis, de monstros, de fantasmas, de fadas e outros amigos, ajudará seu filho a crescer e a desenvolver suas emoções e criatividade. O ajudará a expressar seus medos, suas alegrias, suas inquietudes, e seus mais profundos desejos. As crianças são conscientes do mundo real, mas nessa idade ainda lhes custa assimilá-lo e aceitá-lo tal como é. Por essa razão eles criam um mundo onde tudo é possível, permitido e solucionado. É a etapa do pensamento mágico das crianças. O amigo imaginário pode ser um ursinho de pelúcia, um soldadinho, coisas, animais, etc. São amigos que passam a ter vida, a conversar, brincar e a brigar com as crianças. Através do amigo imaginário, as crianças:

 

  • Liberam seus sentimentos positivos e negativos.
  • Projetam seus conflitos, medos e fobias diante de novas situações, como a de ter que abandonar as fraldas, ir à creche ou ao jardim-de-infância, a mudar-se de casa, ou a ter que enfrentar algum desafio ou realidade diferente.
  • Adquirem mais confiança em si mesmos. Em sua “lógica”, se seu amigo imaginário consegue vencer o mal, ele também é capaz de fazê-lo.
  • Se sentirão mais fortes, e capazes. E isso favorecerá sua auto-estima.
  • Controlarão melhor suas emoções.
  • Entendem da melhor maneira o ponto de vista da outra pessoa, neste caso, do seu amigo imaginário. - Desenvolvem habilidades sociais.

 

Os pais de crianças com amigos imaginários também devem aumentar a vigilância enquanto seu filho brinca com seu amigo. Devem aumentar os cuidados com janelas e com objetos que ofereçam algum risco. O menino pode desejar voar como o superman, e a menina pode acreditar que pode voar com um guarda-chuva, para imitar a Mary Poppins.

 

publicado por Curiosos às 08:51

mais sobre o curso

Janeiro 2013

D
S
T
Q
Q
S
S
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
16
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

últ. recentes

  • Concordo com tudo o que foi dito, mas também nem s...
  • gostei do post ... é como eu tento agir com as min...
  • A designação de Escola Primária para 1º ciclo mudo...
  • Concordo e defendo, pena que mesmo sendo mitos...s...
  • Sou educadora de infância e subscrevo..
  • Não me parece que o facto de se usar o termo escol...
  • Sou mãe de um "finalista" (como ele diz) de JI . S...
  • Achei o artigo interessante. No entanto é feita re...
  • Check! confirma-se! Só falhei nas horas do comentá...
  • Lindo texto, muitos educadores ainda ficam presos ...

arquivos

2013
2012

subscrever feeds

blogs SAPO


Universidade de Aveiro